terça-feira, 30 de março de 2010

CONTENDAS DE AMOR, RIXAS INFERNAIS

As paixões amorosas
tem as quatro estações:
primavera, verão,
outono, inverno.
Para os artistas
a primavera
é a fase ótima para
fazer florescer o processo criativo.
O verão é fogo puro!
Os amantes devoram-se,
não há tempo para nada.
No outono a criação retoma força
e se cobre de tons cinzas.
Quando em sombras desce o inverno
a emoção se faz vulcânica,
e com ela vem a tona
toda a lava do inferno

Edson Calmon
Artista e poeta

Trabalho e foto I.Moniz Pacheco

6 comentários:

Bípede Falante disse...

Ivonete, por isso, que a arte é superior até ao amor. Nela não há estações ou há todas ao mesmo tempo. Não há tempo ou todo o tempo do mundo.
Adorei o seu último trabalho. Forte e expressivo!

maria guimarães sampaio disse...

com a palavra de hoje aí embaixo até esqueci o que ia escrever. Veja só:
XEDOEST

aeronauta disse...

Que trabalho forte e belo, Ivonete!

Bernardo Guimarães disse...

bonito, bonito! e o poema, também.
nao estou esquecido da macarronada, é que estamos de mudança de casa. quando baixar a poeira, chamo a thurma.
bj

Lucia Alfaya disse...

Esse poema é a cara do mestre. Adoro! Aproveito para desejar uma Páscoa com muita paz e saúde. Beijo outro tchau!

Edu O. disse...

e esta pintura nos deixa em estado de suspensão