sexta-feira, 10 de dezembro de 2010



As coisas da vida prática me entediam. Acho profundamente chato providenciar coisas como consertos e reclamações a fabricantes ou fornecedores e prestadores de serviços, cada vez mais desonestos e desatentos à qualidade que vendem. Não tenho o menor saco. Acho tudo isso tão distante de mim que só me movimento quando me incomoda de verdade verdadeira. Sempre estou adiando.Meu sonho de consumo é ter uma governanta que providencie tudo!
Na real, acho que vivo sempre a um metro do chão, pisando em nuvens, comendo sonhos e arrotando estrelas.
Não tenho solução.

6 comentários:

Chorik disse...

O que não tem remédio, remediado está! Sou igualzinho, detesto essas obrigações cotidianas, inda mais as que derivam de nossos direitos. Obrigação de lutar pelo direito, ô coisa paradoxal.

comer sonhos e arrotar estrelas ... que maravilha de frase!

eu como os sonhos e cago desilusões.

Bj

Lucia Alfaya disse...

Tenho a impressão que todos os artistas sofrem desse mal, flutuam em vez de ancorar. Quanto às obrigações do cotidiano, reclamações, consertos, direitos desrespeitadods... ah, isso não tem remédio, é um pé no saco, fazer o que? A idéia da governanta também me seduz, quem sabe com a megasena da virada?
Bjs

Bípede Falante disse...

Nem precisa que já encontrou a suportável leveza do ser :)
bjs

Bernardo Guimarães disse...

pra que solução se vc já tem o melhor que é a capacidade de se emputecer?
me lembrei de quem??

Edu O. disse...

Meu sonho também é ter governanta. Ops. Ai, desculpe, arrotei uma estrela també.

Nilson disse...

E as coisas que se quebram dentro de casa? Me irrita não ter ninguém pra consertar, ou providenciar o conserto!!!