quinta-feira, 22 de abril de 2010

URGENTE

Amanhã é tarde demais
quero o hoje
agora, já.
Intenso
como eu.
Nada temo
tenho pressa,
sou forte.
Os planos
arquivei no tempo
são livros na estante
empoeirada
entregues a própria sorte.
A vida não espera na esquina
Lá, quem espreita
é a morte.

Foto e trabalho I.Moniz Pacheco
Acervo Edson Calmon

9 comentários:

Lucia Alfaya disse...

Lindo trabalho, de outros tempos. Urgente é ser feliz, uma felicidade às vezes tão fácil e rasteira. Às vezes tão difícil e inalcançável. Na gangorra da vida vamos aproveitar o balanço, pois a morte é uma pasmaceira só.

Janaina Amado disse...

Belíssima arte a sua, Ivonete: a visual e a escrita.
Gosto da idéia do viver o agora, já.

Bernardo Guimarães disse...

amanhã,
inês é morta!

Chorik disse...

Gostei dos dois. Da poesia urgente e da tela, dimensionalmente mais complexa e diferente das outras que vi aqui.
Quem vive o (e para o) amanhã é o ansioso e o procrastinador, dois defeitos que tenho, diga-se de passagem. Urgente é mudar isso.
bj

Edu O. disse...

o engraçado é a urgência das palavras guiada pela abundância de caminhos sugeridos na tela.

Mínimo Ajuste disse...

Ivonete, você pode dizer qual é o dia e o mês do seu aniversário e em que cidade vive para ser colocado no cadastro do blog?
Pode colocar no post CAMPANHA ou então enviar por email.
Eu estou tentando diminuir um pouco a foto do seu quadro, mas também não sou muito craque com essas coisas de informática, por isso, ainda não consegui. Beijo. Bípede falante

aeronauta disse...

Ivonete, seu trabalho é bom demais! Diferente, singular. E o poema é bonito demais também.

Leca disse...

Lindo e...
Urgente...
sua Arte...
beijos
Leca

Nilson disse...

Quanto talento, Ivonete! Gostando muito dos seus poemas também!