terça-feira, 25 de janeiro de 2011

TRISTE BAHIA

Salvador está atravessando uma fase terrível. A cidade está suja, engarrafada em qualquer horário, com serviços públicos pra lá de precários, com a segurança em níveis críticos (apenas em 24 dias do mes de janeiro foram 56 homicídios), e o prefeito se dá ao direito de dizer que não tem dinheiro, que o governo estadual tem que ajudar. O fato é que a dívida da prefeitura com os prestadores de serviços está beirando o impagável.Dizem os funcionários que nas repartições está sendo racionada a água mineral e papel higiênico. Pode? O sujeito que o catapultou de terceiro lugar nas pesquisas para vencer a eleição, brigou com o próprio e diz que ele é maluco, quer dizer, não tem nada com isso, nós que nos lixemos. O governo estadual diz que não pode ajudar porque tem seus próprios problemas. Enfim, cada dia que passa vemos nossa cidade ficar mais feia, suja e perigosa, mais injusta com os seus habitantes que precisam de serviços básicos. E assim vão passando os meses, nesse que é o destino preferido de grande parte de turistas que tem saído daqui com muitas queixas. As barracas de praia foram derrubadas num piscar de olhos sem que houvesse sequer um planejamento para seus mais de 3.500 hoje desempregados e sem que houvesse alternativa para os que perderam todo o capital investido nas estruturas na areia. Também acho que as barracas como estavam não podiam continuar, mas, e o planejamento? Será que sabem o que significa? O parque do aeroclube continua enfeiando o caminho, aquele monstrengo horroroso hoje quase em ruinas e nada se fala a respeito. Recentemente o plano inclinado Gonçalves e o Elevador Lacerda, ligações fundamentais entre a cidade alta e cidade baixa, além de poderosos pontos turísticos, ficaram quebrados e ninguém se responsabilizou pela falta de manutenção de tais equipamentos. Os jornais publicaram que em um só dia, 3 ou 4 navios ancoraram despejando mais ou menos 13.000 turistas que daqui saíram decepcionados por terem feito o trajeto de van. Poderia citar aqui mais um monte de problemas que temos enfrentado diariamente porém acredito que isso acontece porque quando um sujeito é eleito para o executivo, preenche o secretariado com cotas de partidos, que por sua vez nomeiam funcionários para postos chave completando as cotas, e o importante é se seus aliados ficaram satisfeitos, ninguém dá bola para a competência para aquela função, a ficha limpa, a dedicação ao trabalho, a formação, o conhecimento, enfim, requisitos que são condição básica em qualquer empresa que se preze. Precisamos urgentemente repensar o sistema eleitoral brasileiro, porque, como vemos até aqui, o que está aí, o descaso, a irresponsabilidade, o deboche, a desonestidade, o desrespeito pelo cidadão que paga e caro os seus impostos, tudo isso tem sido cada vez mais turbinado pelo desenvolvimento tecnológico, pelas novas formas de burlar mais rapidamente os nosso direitos mais básicos.

3 comentários:

Chorik disse...

Ivonete, o país está cheio de Salvador(es), não na beleza, mas no descaso do poder público. A arrumação, se houver, será no ano que vem, às vésperas de outra eleição.

Moniz Fiappo disse...

Pois é Chorik, mas a gente não aprende, não é mesmo?

Nilson disse...

Tá difícil. Mesmo!!